Os Mercenários


Neste Os Mercenários, Sylvester Stallone fez sua versão de Onze Homens e Um Segredo, com a diferença de trazer uma trupe de atores bacanas fazendo um filme de ação debilóide e ignorante. Ou seja, daqueles bem divertidos. Contando com uma trama bestinha, ao menos há humor e boas cenas de ação o suficientes para garantir um passatempo decente.

Alguns efeitos especiais são bons, outros nem tanto, mas isso não chega a atrapalhar. O problema são os mesmos típicos do gênero, com personagens unidimensionais, que só sabem parecer ameaçadores, ou fazer uma piadinha inspirada. O único diferencial mesmo é o elenco, tanto que a melhor cena do filme é a que reúne Stallone com Arnold Shwarzenegger e Bruce Willis. E a cena é boa simplesmente por isso, já que nem o diálogo é dos mais inspirados.

Fora isso, Mickey Rourke aparece pouco, mas é o que mais se destaca. Giselle Itié é a que mais se esforça, mas sua personagem não ajuda. Jason Stathan, Jet Li e Terry Crews estão no piloto automático, a sorte do filme é que eles são carismáticos, ao contrário de Dolph Lundgren, inexpressivo que só ele (mas Stallone é esperto e faz com que isso até funcione).

Enfim, apesar de ser superior a Rambo IV, o filme está longe da qualidade mostrada por Stallone no fabuloso Rocky Balboa. No final das contas, Os Mercenários é um filme de ação típico, algo que é até decepcionante se julgarmos os nomes envolvidos. Mas está bem longe de ser ruim.

NOTA: 7

0 comentários:

Real Time Web Analytics