O Primeiro Mentiroso


Imaginem um mundo onde ninguém nunca contou uma mentira. Nenhuma mesmo. A propaganda da Coca se limita a dizer "estamos aqui pedindo para você continuar comprando Coca", enquanto a da Pepsi diz "Quando não tiver Coca... compre Pepsi"; ou logo no início de um encontro a garota diz que estava se masturbando, "Isso me faz pensar na sua vagina. Espero que essa noite termine em sexo", responde o homem; ou o policial que depois de parar um motorista bêbado diz "na verdade, estou aliviado por vocês não serem negros, o que me deixaria mais tenso e com mais chances de me tornar violento". O que é uma ótima premissa para uma comédia, porém, é apenas a base de uma discussão infinitamente mais complexa em O Primeiro Mentiroso, filme escrito e dirigido por Matthew Robinson e Ricky Gervais.

Gervais interpreta Mark Bellison, um roteirista fracassado que logo depois de perder o emprego, enfrenta o risco de perder seu apartamento. É então que ao chegar no banco, ele conta a primeira mentira do mundo: convence a moça do caixa que tem mais que o dobro do dinheiro na sua conta. Impressionado pela sua façanha, começa a usar mentiras para se dar bem na vida, e também para melhorar a vida das pessoas ao seu redor, como seu vizinho suicida (Jonah Hill). 

Mas o filme passa longe da idéia de que "uma mentirinha não faz mal" quando o plot do filme se anuncia de maneira surpreendente e dramática, numa cena emocionante entre Mark e sua mãe. Como realmente não quero estragar a surpresa que o filme prepara, saiba apenas que religião e o status quo serão os principais temas trabalhados a partir dali, de maneira engraçada e inteligente.

Apesar de utilizar alguns clichês depois da metade, como a romance do protagonista e a personagem de Jennifer Garner, que cai num triângulo amoroso, é fato que o filme jamais lida com aquilo da maneira usual, utilizando o romance como forma de discutir uma busca vazia pela perfeição. Visualmente, o filme lembra a fase de comédias mais simples de Woody Allen, como Os Trapaceiros ou O Escorpião de Jade.

Quando escrevi sobre Ghost Town já revelei minha admiração por Ricky Gervais, que vem se revelando não apenas um comediante brilhante, como um verdadeiro talento a ser admirado em todas as áreas em que atua, algo que fica claro nesse filme. Jennifer Garner vem melhorando cada vez mais, e surpreende mais uma vez. Mas vale comentar as pontas divertidas de atores como Edward Norton, Christopher Guest, Phillip Seymour Hoffman e Jason Bateman.

O único problema de O Primeiro Mentiroso é a montagem que em vários momentos perde o ritmo, além de dar um estranho tom episódico em alguns momentos, e talvez o desfecho fosse melhor se tivesse mais do cinismo que vimos antes. Mas de qualquer forma, o filme tem um dos roteiros mais originais e bem desenvolvidos que vi nos últimos anos.

NOTA: 9

0 comentários:

Real Time Web Analytics