V de Vingança



Baseado na fantástica Graphic Novel de Alan Moore, V de Vingança é um bom filme de ação que poderia ser muito mais. Transformando as belas metáforas políticas e sociais da obra de Moore em simbolismos óbvios e frágeis, o filme funciona, mas sempre dá a sensação de forçar um pouco a barra. Por outro lado, a idéia de atualizar a história para um período mais atual não chega a incomodar tanto, e em alguns momentos se mostra a decisão correta.

Mas é o clima romântico entre Evey (Natalie Portman) e V (Hugo Weaving) que é usado como fio condutor da história que realmente incomoda. Não que esteja equivocado, mas é muito menos interessante do que o passado de V, ou até mesmo que a investigação do inspetor Finch (Stephen Rea, sempre brilhante). 

Estréia de James McTeigue na direção, ele cria um visual interessante, mas abusa dos efeitos especiais nas cenas de luta. Além disso, a cenografia é certinha demais, os cenários são limpinhos, diferente do que se imaginaria de um futuro num governo totalitário. Por outro lado, o diretor acerta no momento em que Evey é presa e a tortura que sofre (além da história que acaba lendo em sua cela), e a Galeria das Sombras de V é um destaque a parte.

Contando ainda com uma curiosa atuação de John Hurt (provavelmente um contraste com sua participação em 1984), V de Vingança é um bom filme, que mesmo se equilibrando em suas falhas, consegue ser um filme muito superior a média. 

Agora é torcer para que algum diretor faça um remake tão fiel a obra quanto foi feito em Watchmen.

NOTA: 7,5

1 comentários:

Quéroul disse...

obviamente fui assistir com quem conhecia a graphic novel. AFE.
assim num dá, sabe?
amigo saiu reclamando de TUDO, e eu lá, toda lacrimosa porque tinha achado o filme LINDO.

prefiro eu ter gostado do que o povo reclamando, hehehe.

=***

Real Time Web Analytics