Pequena Miss Sunshine


Precisa ser dito algo a mais sobre Pequena Miss Sunshine? Um dos filmes independentes norte-americanos mais adoráveis e divertidos da última década? Sinceramente, acho que não. É o típico caso de filme que não consigo imaginar alguém dizendo que não gostou, e do qual eu sinto que pouco se pode complementar, mas vamos lá.

Pequena Miss Sunshine acompanha a viagem de uma família para um concurso de miss, na qual Olive (Abigail Breslin) foi convidada a participar. Na velha kombi amarela vão o pai (Greg Kinnear), autor de uma teoria de auto-ajuda que, ironicamente, é um fracasso, a mãe (Toni Collette), dedicada e preocupada com a situação da família e do irmão (Steve Carrell), um reconhecido estudioso que tentou cometer suicídio depois de uma desilusão amorosa. Além deles, o irmão de Olive (Paul Dano) jovem que idolatra Nietzche e decide não dizer uma só palavra antes de realizar seu sonho de se tornar piloto de aviões, e o avô (Alan Arkin), viciado em cocaína e falastrão, mas também adorável.

O filme fala sobre desilusão: todos os personagens tem sonhos, e todos verão eles sendo despedaçados. Cena chave do filme: Olive chora para o avô dizendo que não quer ser uma perdedora, ao que vem a resposta perfeita de que "um perdedor é aquele que tem tanto medo de não vencer, que nem sequer tenta". Assim, admiramos aqueles personagens e o modo como eles enfrentam os obstáculos para continuarem (mesmo quando isso envolve o bizarro sequestro de um corpo). 

Pequena Miss Sunshine é um filme fabuloso, uma comédia dramática otimista, mesmo falando sobre perdas e sonhos destruídos. Uma obra única e obrigatória.

NOTA: 10

3 comentários:

Quéroul disse...

é uma fofura.
e Steve Carrell é a perfeição.
:)

Tiago Lipka disse...

Steve Carrell está realmente excelente aqui. Aliás, conheci ele antes por este filme do que por comediante. Deve ser por isso que respeito tanto o cara.

annastesia disse...

Muito bom! Aborda temas delicados com bom humor e inteligência.

Real Time Web Analytics