Legião


Legião é um dos filmes mais constrangedores do ano. Não o pior, porque é involuntariamente divertido, como ao mostrar uma idosa e um sorveteiro possuídos em cenas repletas de efeitos especiais. Mas chega a ser impressionante ver a marmelada em que se meteram atores como Paul Bettany, Dennis Quaid (de novo) e Doug Jones.

O filme é uma baboseira sobre o fim dos tempos, em que Deus se cansou da humanidade e resolve matar todo mundo. Mas o anjo Miguel discorda e tenta salvar um bebê, que pode mudar essa decisão (e o porque disso nunca é explicado). Repleto de efeitos especiais capengas, Legião poderia ser melhor se resolvesse se assumir como um filme B que só está inventando história para fazer insanidades, mas não. A sensação no final é a de que o filme se levou a sério o tempo todo. Mesmo. Inclusive no lance da velhinha e do sorveteiro.

E para encerrar, meus parabéns para os cristãos que finalmente tomaram a decisão certa: poderiam muito bem ter criado polêmica por esse filme, como fizeram com vários outros. Mas dessa vez, simplesmente ignoraram.

Sorte a nossa, já que assim, Legião não ganhou mais destaque.

NOTA: 2

1 comentários:

Expectador disse...

Eu dou 3,5 pela cena da velha que me fez rir horrores.

Real Time Web Analytics