Chinatown


Clássico suspense de Roman Polanski, que envelhece como vinho. Um filme noir moderno (até hoje), que, sem querer, acabou lidando com temas que marcariam a vida de suas principais estrelas: pedofilia (Polanski) e incesto (Jack Nicholson). Mas o que realmente marca a obra é o roteiro esperto de Robert Towne, que consegue criar uma história complexa e desenvolver personagens marcantes. 

O filme começa simples, com uma mulher pedindo para que J.J. Gittes invetigue uma suposta infidelidade de seu marido. Só que a mulher não era a verdadeira esposa do marido supostamente infiel, e o tal marido está metido num perigoso esquema de corrupção. Para desvendar o que realmente aconteceu, Gittes começa a investigar tudo a fundo, e então intrigas familiares, relacionamentos amorosos e uma terrível conspiração pelo abastecimento de água na cidade se entrelaçam. 

Nicholson está brilhante como J.J. Gittes, um típico protagonista de Polanski: meio canalha, mas sensível, mulherengo e desajeitado. Mas é a maneira como o ator equilibra essas características que tornam seu trabalho genial. E o roteiro de Towne guarda tiradas brilhantes que colaboram com o ator, como "Para falar a verdade, eu menti um pouco", ou quando alguém diz que oconsiderava inocente, ele responde "Já fui acusado de muitas coisas, mas nunca disso...". Mas outra atuação brilhante no filme é a de John Huston, que vive um verdadeiro monstro, que como a maior parte dos monstros, nem sequer se preocupa em esconder isso em sua fachada. 

Chinatown faz referência ao bairro oriental no meio de Los Angeles, um lugar em que, como a população não fala o inglês, parece ser o paraíso para corruptos encerrarem seus problemas sem qualquer discrição ou preocupação. Isso diz muito sobre o desfecho maquiavélico do filme, em que dizer que "Não tem nada que possamos fazer, isso é Chinatown" pode parecer pouco, mas revela uma opinião fortíssima. 

NOTA: 10

2 comentários:

Marconi disse...

Meu segundo Polanski favorito.
O primeiro é O Pianista.
http://cinespaco.blogspot.com/

annastesia disse...

Polanski é fantástico. Polêmicas e discussões à parte, o que vale mesmo são seus filmes, sua obra. Chinatown está entre meu favoritos.

Real Time Web Analytics