30 Dias de Noite


Antes de fazer Eclipse, David Slade já havia dirigido outro filme sobre vampiros bem mais empolgante, que é este 30 Dias de Noite. Apesar de ter uma porção de problemas difíceis de ignorar, o fato é que o filme sobrevive porque faz bonito no que é mais importante: mantém a tensão o tempo todo, e ao salientar a violência da situação, cria uma sensação de urgência em qualquer ação mínima dos personagens. Baseado em uma graphic novel, o filme mostra a preparação de uma cidade no Alasca que, durante o inverno fica 30 dias sem receber a luz do sol. Só que desta vez, vampiros resolveram aparecer para dizimar os poucos habitantes do lugar.

Logo no início, é possível ver as virtudes e probemas do filme: a maneira como os casos isolados vão de forma sutil mostrando como a situaçao é cada vez mais grave (telefones quebrados, o único helicóptero destruído, etc) é empolgante e devastadora. Além disso, Ben Foster faz um trabalho magnífico como o estranho que antecede a ameaça dos chupadores de sangue.

Mas e numa história dessas, em que até Danny Huston é colocado como coadjuvante, quem foi o animal que pensou em Josh Hartnett como protagonista? Hartnett não é um ator ruim, mas é limitado. Ele está bem em Sin City - A Cidade do Pecado, por exemplo, porque só tem uma cara e um tom de voz pra fazer. Aqui, quando tenta parecer amedrontado, quase solta a franga, com direito até a voz afeminada. E o mais triste, é que é o seu arco dramático que seria o proncipal da história; como ele não o realiza bem, o bom desfecho vem com uma pontinha de esquisitice.

Mas David Slade acerta no visual, e cria cenas realmente brilhantes, como o belo plano plongé, que mostra a extensão do ataque dos vampiros, num belo plano-sequência (melhor cena do filme), ou na maneira brutal em que mostra uma decapitação, que dificilmente vai sair da cabeça de quem assistir (e minhas desculpas pelo trocadilho). E a verdade é que, apesar de alguns furos na história (porque demoram tanto para usar as armadilhas de urso, por exemplo?) e agumas atuações meio merrequinhas, o diretor fez um filme tenso que deixa uma impressão muito mais positiva do que poderíamos imaginar.

NOTA: 7

1 comentários:

sofia martínez disse...

Isso me assusta quando vejo isso, mas a verdade é que é muito divertido, especialmente a participação de um grande ator escalado como; Josh Hartnett eles certamente fez um papel muito sábio. Adoro ver essa fita.

Real Time Web Analytics