Esquadrão Classe A


Decepcionante ver um cineasta como Joe Carnahan dirigindo este Esquadrão Classe A, por mais que o filme não seja ruim. Afinal, depois de realizar um dos melhores policiais da década passada, Narc e fazer o bacana A Última Cartada, eu esperava muito mais do diretor que um filme divertido, mas mal escrito e com efeitos especiais decepcionantes, comparáveis a O Procurado.

O roteiro é fraco, mas é salvo por várias boas escolhas de elenco, principalmente Sharlto Copley de Distrito 9, que faz de Murdoch o grande destaque do filme, e Liam Neeson e Patrick Wilson também se saem muito bem com seus personagens carismáticos. Já Bradley Cooper, um ótimo ator exagera um pouco na dose, e para piorar, seu personagem é o menos inspirado de todos, fazendo dele um mero coadjuvante, assim como Jessica Biel (hein? Hein?).

O que é divertido no filme são a maneira como o esquadrão planeja suas ações, enquanto a montagem nos mostra como ela acontecerá, algo que traz uma dinâmica interessante ao filme, e por mais que seja tudo inverossímil, ao menos é divertido e bem realizado. Mas é uma pena que os efeitos especiais sejam apenas medianos, principalmente na cena do cais ao final, quando tudo parece um jogo de video game.

Inspirado na popular série dos anos 80, que eu nunca vi e nem pretendo, Esquadrão Classe A é divertido, um passatempo bacana. Algo que já é interessante, mas que eu nunca esperaria de Joe Carnahan. E enquanto o filme passava, eu só me divertia mais quando lembrava do ótimo episódio de Uma Família da Pesada, em que Peter monta seu Esquadrão Classe A.

NOTA: 6,5

1 comentários:

Dave Coelho disse...

Eu também diverti, mas achei muito poluído às vezes, sabe?
Queria me concentrar na história, mas o filme é ensurdecedor demais pra isso. É relaxar e rir do Sharlto Copley. haha

Real Time Web Analytics