Perseguindo um Sonho


Hipocrisia é foda: Perseguindo um Sonho foi lançado direto em DVD sem nenhum alarde, e com o seguinte comentário na capa: "dos criadores de Half Nelson". Agora procurem quando que Half Nelson foi lançado nos cinemas ou em DVD. Hum-HUM.

Dito isso, Perseguindo um Sonho é o novo filme de Ryan Fleck e Anna Boden, roteiristas do excelente Half Nelson, que aqui também dividem os créditos na direção. Contando a história real de Miguel 'Sugar' Santos, um jovem de 20 anos da Republica Dominicana que dedica sua vida a jogar baseball. Depois de ser chamado para um treino nos Estados Unidos, ele acaba sendo convocado para o time da primeira divisão. Mas Sugar começa a sentir a pressão, não apenas da responsabilidade que ganhou em tão pouco tempo, mas também pela sua dificuldade de aprender o idioma e por seus amigos estarem sendo mandados embora.

Não se preocupe: esse não é o típico filme de jogador pobre que fica famoso e descobre que era mais feliz quando era pobre. Ryan Fleck e Anna Boden exibem logo de início o personagem como um rapaz repleto de falhas, principalmente sua vaidade e seu orgulho, o que causará a maioria de seus problemas, diga-se de passagem. 

Mas por trás da simplicidade da história, está um belíssimo filme sobre um jovem tentando encontrar seu destino, e a "reviravolta" surpreendente que acontece no meio da história deixa isso claro. Criado a vida inteira por seu pai e sua mãe para jogar baseball, Sugar teve que sacrificar seus estudos e até mesmo o contato com sua família para se dedicar ao esporte. E se de início, é tocante que o jovem se mostre realmente dedicado ao esporte, logo começa a questionar suas escolhas (mesmo que jamais culpe seus pais), logo demonstra uma triste falta de maturidade (que é mostrada na maneira como ele abraça o senhor que o hospeda, por exemplo) que será fundamental não apenas para o filme finalmente revelar seu objetivo, como também como uma lição de humanidade bem diferente do que Hollywood normalmente produz.

E ao exibir no desfecho, vários jogadores latino-americanos que acabaram no mesmo dilema do protagonista, Perseguindo um Sonho se revela uma obra ambiciosa, que se não acerta o ritmo de início, logo acaba se mostrando um filme imperdível e interessante.

NOTA: 8

3 comentários:

Tsukase disse...

Cheguei a pensar que eu era o único cara do Brasil a não ter se deixado enganar pelo título e ter visto esse filme hahaha.
Gosto demais de filmes de esporte e de Baseball, e este foi uma grata surpresa. Se Sugar tivesse estreiado, qualquer fosse o circuito, eu provavelmente teria assistido.
Ótima resenha e excelente trabalho com o blog, cara. Tá de parabéns.

Anônimo disse...

adorei seu post. sou apaixonada por esse filme.

thaís sulatti disse...

esse filme e muito bom eu me emocionei muito com ele, vocês estão de parabéns;

Real Time Web Analytics