Incendiário


Incendiário só merece ser visto bela interpretação magnífica de Michelle Williams, e esse é o único motivo pelo qual não dou um zero para o filme. Contando uma história relativamente interessante, que aos poucos vai se tornando uma novela mexicana das piores, Incendiário consegue ter tantos elementos ruins ao mesmo tempo que chega a ser impressionante que tenha sido filmado: o que diabos é a tal carta a Osama? E os balões com fotos (que dizem representar cada um dos mortos do atentado, sendo que, no máximo, há dez deles)? E o personagem que começa a dar em cima da pobre protagonista com o sonho de levá-la... a um trailer????

E pior de tudo: em teoria, o filme queria ser um estudo de personagem sobre a mulher que perde o marido e o filho de 4 anos num atentado terrorista, no mesmo momento em que estava com o amante, e Incendiário até consegue manter uma pontinha de história interessante quando a personagem lembra a protagonista do fabuloso Repulsa ao Sexo de Roman Polanski. Mas, como vemos depois, o filme está muito mais interessado em trazer reviravoltas (todas bestas) e ainda traz, de quebra, um dos finais mais maniqueístas e... retardados dos últimos tempos: na desculpa de querer ser emocionante e melancólico, o final soa incrivelmente estúpido.

Ewan McGregor é um excelente ator, mas não é milagreiro, e chega a surpreender como ele é pouco e mal usado na obra. Já Michelle Williams consegue transformar sua personagem chata e mal desenvolvida numa figura extremamente trágica, que mesmo quando é obrigada a atos estúpidos pelo roteiro permanece real e digna para o público. Pena que o filme não está a sua altura.

NOTA: 2

0 comentários:

Real Time Web Analytics