Southland Tales - O Fim do Mundo


Filme interessante e bizarro de Richard Kelly, cujo trabalho anterior Donnie Darko conseguiu uma enorme legião de fãs. Southland Tales - O Fim do Mundo em seus melhores momentos é uma obra instigante, inteligente e provocativa, já nos piores parece quase estúpido. Talvez o tom de comédia adotado pelo diretor (que se mostra óbvio desde a escolha do elenco) arruine a proposta dramática, ou talvez o filme simplesmente não funcione. Mas não deixa de ser intrigante.

O filme narra uma história ao redor de um astro de ação que, depois de uma amnésia, escreve um roteiro sobre o fim do mundo. Aos poucos, ele é alertado de que todos os fatos de seu roteiro estão certos, e seu envolvimento com uma atriz pornô, um policial racista, neomarxistas (!) e políticos começam a perturbá-lo a ponto de ele acreditar que é de fato, o personagem de seu roteiro.

The Rock faz o máximo que pode no papel, algo que infelizmente não é o bastante. Seu exagero em algumas cenas chega a provocar vergonha alheia. Já Sean Willian Scott e Justin Timberlake estão bem acima do que se esperaria deles, principalmente Sean, que surpreende em seus minutos finais. E se Sarah Michelle Gellar está apenas ok, é triste que grande parte do elenco não tenha tanto destaque, principalmente se considerarmos que existem inúmeras subtramas.

Contando com diversas metáforas políticas e sociais (como os testes em soldados que voltaram do Iraque), Southland Tales parece um filme gigante e ambicioso que... simplesmente não deu certo. E por mais que o resultado final pareça histérico e exagerado, o filme tem méritos inegáveis que se tornam dignos de uma recomendação.

NOTA: 7

10 comentários:

Anônimo disse...

Как Вы считаете, на сколько поднимутся [url=http://profwoomen.ru/]пенсии[/url] после нового года?

Leinad Lisarb disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leinad Lisarb disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leinad Lisarb disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leinad Lisarb disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leinad Lisarb disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leinad Lisarb disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leinad Lisarb disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leinad Lisarb disse...

Southland Tales recebeu uma avalanche de críticas negativas, porém não estou entre os detratores. Sou admirador do trabalho de Richard Kelly e vou tentar desvendar o enredo.
ENREDO
Após a explosão e o início da terceira guerra mundial os cientistas (e neomarxistas) estudam e descobrem uma forma de combustível alternativo, denominado carma fluído. As ondas oceânicas são a força-motriz da geringonça que produz o carma fluído. Porém, seu funcionamento acarreta a desaceleração planetária e o aparecimento de uma fenda na quarta dimensão, ou seja, uma espécie de máquina do tempo no deserto. Os cientistas enviam Boxer Santaros como cobaia da experiência, ou seja, encontrar o seu "eu" passado e futuro. O Boxer Santaros do presente é assassindo por Serpentine (a oriental namorada do Barão) e quem retorna é o Boxer Santaros "eu" do futuro. Todavia, Boxer Santaros foi conduzido ao deserto pelo policial Ronald e este entrou na fenda da quarta dimensão. Então, retornam do deserto, Boxer Santaros (do futuro) Ronald (do presente) e Roland (eu futuro de Ronald), todos com amnésia. Estes dois permanecem sob o domínio dos neomarxistas e Boxer Santaros (do futuro) sob a proteção de Krysta Now. Boxer Santaros (do futuro) escreve um roteiro para o filme denominado "The Power", sendo divulgado pela internet e chegando as mãos dos neomarxistas ("é isto mesmo Senhor Santaros, o mundo termina exatamente como o senhor imaginou") O roteiro descreve os acontecimentos até o fim do mundo. Roland, progressivamente vai se dando conta que é o "eu" futuro de Ronald. Percebe a necessidade em encontrar Ronald e que algo ruim está para acontecer, pois Ronald se sente culpado por desfigurar o piloto Abilene numa manobra desastrosa no Iraque. Surge uma nova droga, o carma fluído sintetizado. Desenvolvida e testada pelo Barão em soldados americanos que retornaram do Iraque e que é capaz de alterar a percepção mental de espaço e tempo. Conecta o usuário aos seus diferentes "eus" e os usuários entre si ("basta seguir o fluxo do sangue") Roland injeta carma fluído em seu pescoço com o propósito de rastrear e encontrar seu "eu" presente, ou seja, Ronald. Enquanto isso, os cientistas revelam à Boxer Santaros, a natureza do corpo incinerado no deserto e que se encontra no Zeppelin do Barão, ou seja, um Boxer Santaros do passado. Boxer Santaros descobre que é o "eu" futuro e que seu roteiro são acontecimentos reais e previstos por ele. É revelado que a quarta dimensão entrará em colapso quando os dois "eus" do policial Ronald se encontrarem e apertarem as mãos. Os neomarxistas usaram o roteiro de Boxer Santaros para dar o golpe final no capitalismo e acabar de vez com a célula republicana. Ele escreveu o futuro e no encontro dos dois "eus" de Ronald, o furgão sobe até o Zeppelin do Barão, surgindo o momento propício para o terrorista neomarxista disparar o foguete e acabar com o capitalismo. ("e é assim que o mundo acaba, não num choro, mas numa explosão) A explosão do Zeppelin que Boxer Santaros tenta evitar no último instante, buscando evacuar o dirigível. Além disso, há um segundo plano, se o roteiro de Boxer Santaros falhasse, os neomarxistas divulgariam o vídeo de Santaros e Krysta transando para desmoralizar os republicanos nas eleições. Porém, o mundo permanece intacto perante o furgão e o aparecimento do vórtice da quarta dimensão. Consuma-se o encontro e o aperto de mão de Ronald e Roland. Os dois "eus" do policial se tornam um só e o mesmo quando o reflexo de Ronald desaparece dos olhos de Roland ("e é assim que o mundo acaba, não com um choro, mas com um aperto de mão") Será que a quarta dimensão entrou em colapso? Será que o mundo acabou?

Leinad Lisarb disse...

CURIOSIDADES
E curiosidades como, no início do filme, quando Roland está brincando em frente ao espelho e percebe um atraso na imagem. Dá a entender que se Roland é um "eu" futuro de Ronald, suas ações ultrapassam o presente e o diretor se vale de uma metáfora para instigar o espectador. O "eu" futuro de Ronald antecipa os próprios atos. Além do fato de Boxer Santaros ter permanecido 69 minutos no deserto com seu outro "eu" e surgir uma Proposição 69 que é defendida pelos republicanos e rechaçada pelos neomarxistas. Porém, o enredo falha em não explicar o que pensa Roland ao ver Ronald amarrado e sedado nas mãos dos neomarxistas no início do filme. Pensa ser um irmão gêmeo ou tem consciência que é seu "eu" presente.

Real Time Web Analytics