O Fundo do Coração


Provavelmente o maior fracasso da carreira de Francis Ford Coppola, tão grande que o deixou um bom tempo sem filmar mais nada. Trata-se de um musical bizarríssimo, mas que está muito longe de ser ruim. Primeiro, porque todas as músicas do filme foram compostas e cantadas por Tom Waits, algo que já diferencia completamente o projeto de muitos musicais, e segundo porque visualmente, O Fundo do Coração é um espetáculo que merece ser visto.

O filme conta a história de um casal que, um dia antes de completarem cinco anos de namoro, acabam brigando, e acabam passando o dia cada um com um desconhecido: ela com um cafajeste encantador, vivido por Raul Julia, e ele com a apetitosa (desculpem, mas é isso mesmo) Nastassja Kinski. Essa história simples foi filmada numa impressionante reconstrução de Las Vegas em estúdio e é narrada pela melancólica voz de Tom Waits, cujas músicas são uma atração a parte.

Contando com uma montagem espantosa de tão boa, Coppola dirige o filme sem o menos medo de ser felilz, e cria um espetáculo visual de dar inveja a qualquer musical recente: das transições que juntam o casal em diferentes lugares até a cenografia inusitada, o filme é uma experiência marcante, e que certamente influenciou muitos diretores, apesar de ter sido praticamente ignorado pelo público. 

Infelizmente, como a grande maioria dos musicais, O Fundo do Coração acaba cansando, principalmente nas cenas de dança em meio as ruas de Las Vegas, que acabam se extendendo muito mais do que o ideal, e além disso, os personagens do filme se revelam muito menos interessantes do que o imaginado, e me surpreendi quando eu decidi que realmente não queria vê-los juntos "felizes para sempre". Mas acredito que essa tenha sido parte da proposta do filme: narrar um romance de um casal comum. 

NOTA: 8

0 comentários:

Real Time Web Analytics