Antes do Anoitecer


Antes do Anoitecer está longe de ser uma cinebiografia comum. Dirigido pelo brilhante Julian Schnabel (de O Escafandro e a Borboleta), o filme narra de forma poética e brutal a história do escritor cubano Reinaldo Arenas, que por ser anti-Fidel e homossexual sofre sua vida inteira tanto para publicar suas obras, quanto para sobreviver em meio a ditadura no país.

Aliás, qualquer um que apoie a revolução em Cuba deverá pensar duas vezes após assistir o filme: a ditadura de Fidel é criticada de maneira dura e aberta, e o diretor não pensa duas vezes em usar imagens do próprio para isso: demonstrando uma repulsiva homofobia e uma forte luta contra os direitos de expressão de seus escritores, Antes do Anoitecer mostra Cuba como um exemplo terrível de como o socialismo (ou comunismo) pode ser (e sempre foi) uma perfeita desculpa para ditaduras repletas de tirania (e o próprio Arenas tem um ótimo diálogo sobre isso: "a diferença entre o comunismo e o capitalismo, é que se algo está errado no comunismo, você leva um chute nas costas; no capitalismo, você pode berrar").

Schnabel mais uma vez mostra seu talento na direção, com enquadramentos elegantes, transições inspiradas e um roteiro que prima pela sutileza. A naturalidade e sensibilidade que o diretor exibe ao lidar com o homossexualismo do escritor é invejável, e Javier Bardem encarna o personagem com seu talento habitual. Aliás, o filme é repleto de pequenas participações marcantes de grandes atores como a divertida ponta de Sean Penn até Johnny Depp que interpreta dois personagens distintos (numa ironia dramática quase cruel).

Forte e corajoso, Antes do Anoitecer foi um filme que passou um pouco batido (provavelmente pelo tema), mas que deve ser conferido, e é uma pena que os movimentos por direitos homossexuais não recomendem este filme (pelo menos os que eu conheço), já que se trata de um dos mais belos e naturais retratos feitos sobre isso no cinema.

NOTA: 10

0 comentários:

Real Time Web Analytics