Tá Rindo do Quê?



Tá Rindo do Quê? é o melhor filme já dirigido por Judd Apatow, um grande elogio para quem já dirigiu os ótimos O Virgem de 40 Anos e Ligeiramente Grávidos. O filme é uma excelente mistura de comédia com drama, que apesar de ser um pouco mais longa do que deveria, consegue ser um filme único e especial: Tá Rindo do Quê? é para a comédia, assim como O Lutador é para a luta-livre. Uma obra que mostra os bastidores da vida de um comediante de sucesso que se vê sozinho ao descobrir que possui uma grave doença e poderá morrer em breve. Ele contrata um jovem promissor para ajudá-lo, e acaba criando amizade com ele, e voltando a rever seus amigos, também reencontra a garota que ele sempre amou.

Se a história parece clichê ou boba, não se engane. O ótimo roteiro consegue desenvolver seus personagens de maneira impressionante: os comediantes interpretados por Adam Sandler e Seth Rogen tem em comum a dificuldade em lidar com pessoas comuns, até mesmo em conversas triviais: se Adam Sandler tem um momento genial logo no início quando é informado de sua doença, Rogen mostra uma grande evolução como ator no momento em que encontra a garota que está afim no apartamento, e não consegue parar de fazer piadas tentando evitar o nervosismo. Já o casal feito por Leslie Mann e Eric Bana são desenvolvidos de maneira inteligente pelo filme, tanto que o final surpreendente só funciona pelo talento dos dois. Já os personagens coadjuvantes são menos intrusivos do que nos filmes anteriores do diretor, e Jason Shwartzman e Jonah Hill tem um ótimo desempenho com seu pouco tempo em tela. Vale a pena comentar também das pontas de diversos comediantes que surgem em cena de maneira natural e divertida, passando por Paul Reiser, Norm MacDonald, até Eminem e Ray Romano (que tem uma das cenas mais engraçadas do filme).

E Judd Apatow merece muitos elogios pela direção do filme que se mostra muito mais firme do que o habitual, e a escolha de Janusz Kaminski para a fotografia foi extremamente feliz, já que o eterno parceiro de Spielberg e diretor de fotografia do genial O Escafandro e a Borboleta confere um visual perfeito para a obra, que infelizmente foi pouco vista, e nem um pouco admirada como merecia.


NOTA: 9

3 comentários:

Raphael Café disse...

Olá galera do Sobre filmes e cigarros, tudo bem? Adorei o blog de vocês!

Sou colaborador do site cinedica.com.br e gostaríamos de comentar que no dia 17 de janeiro, as 22 horas, iremos agitar um bate papo em nosso site em função da cerimônia do globo de ouro e gostaríamos muito de contar com a presença de vocês e de seus usuários.
Nosso site é feito por amantes e para amantes da sétima arte. Somos contra a pirataria e amamos falar sobre cinema.
Dia 17 é um dia especial pois a cerimônia será mostrada ao vivo via canal TNT e não existe um lugar onde quem curte essa premiação possa debater via mensagens, os acontecimentos, ao vivo, que se seguem.
Gostaríamos de saber se você pode nos ajudar com a divulgação desta nossa iniciativa.
Nós rodamos a internet para encontrar sites interessantes e que fazem parte de nossa filosofia.
Você pode conhecer um pouco desta idéia pelo link: http://www.cinedica.com.br/filmes/cinefest.php
Desde já agradecemos e aguardamos uma resposta.

Atenciosamente, equipe CineDica.

rp@cinedica.com.br
raphaelcamacho@gmail.com

Anônimo disse...

tá rindo do quê? o próprio nome diz todo, o filme não tem graça‼

Anônimo disse...

O nome do filme é "Funny People" (Gente engraçada). Tá rindo de quê? é coisa de algum tradutor imbecil.
Certamente não é uma comédia descerebrada como tantas outras e tem momentos até tristes, mas é um ótimo filme exatamente por isso. Da próxima vez que for ao cinema, leve o cérebro junto.

Real Time Web Analytics