Informers - Geração Perdida



Filmes sobre vários personagens cujas histórias se cruzam em meio a cidade de Los Angeles já são quase um sub-gênero em si: no final do ano passado tivemos este Informers - Geração Perdida e o fraco Ponto de Partida, filhotes de filmes como Crash - No Limite, Magnólia ou L.A. Story. Dirigido por Gregor Jordan, este Informers - Geração Perdida tem muito em comum com as falhas de Ponto de Partida, mesmo sendo infinitamente superior.

Vale comentar que o filme é uma adaptação do livro de Bret Easton Ellis, mesmo autor que deu origem a Psicopata Americano e Regras da Atração. Se esses dois filmes tem o humor negro incorretíssimo em comum, em Informers a piada parece ter perdido a graça. O autor volta a falar dos anos 80, do início da AIDS, da sociedade rica mergulhada em orgias e cocaína, mas ao invés do comentário crítico e bem humorado, aqui o autor parece mostrar que a decadência dos Estados Unidos já havia começado muito antes do que se imaginava.

É praticamente impossível elogiar todos do excelente elenco, que mesmo com maior ou menos destaque realizam um trabalho perfeito, mas acredito que Billy Bob Thornton, Amber Heard e a sinistra figura interpretada por Mickey Rourke são os grandes destaques (embora minha história favorita seja a surpreendente trama do roqueiro decadente interpretado por Mel Raido). Aliás, vale comentar também a ótima atuação de Brad Renfro.

Com um final em aberto que certamente vai irritar muita gente, principalmente pela sensação de uma história que não é contada até o final, Informers - Geração Perdida mostra justamente ali sua coragem: o filme é um apanhado de diversas situações que se ligavam de maneira dolorosa e dramática, e ao encerrar com a imagem da bela garota já numa situação terrível (principalmente, se compararmos a abertura do filme, com o rapaz sendo morto por se distrair com ela) se transforma num filme, no mínimo intrigante e muito, mas muito triste.


NOTA: 8

1 comentários:

Anônimo disse...

Tbm gostei!

Real Time Web Analytics