Avatar



(Nota: Ainda vai aparecer alguém dizendo que o filme é uma metáfora sobre as novas tecnologias e mídias sociais. Bullshit...)

James Cameron levou mais ou menos 6 anos para realizar este Avatar e dá pra ver o porque disso no cinema: o filme é uma experiência visual absurdamente rica, que faz até o recente Fantasmas de Scrooge parecer um desenho da Turma da Mônica em comparação. Dito isso, se ele dedicasse pelo menos um ano para fazer o roteiro, estaríamos diante de um clássico, o que não é o caso, já que fora toda a parte tecnológica, Avatar não passa de uma nova versão de Pocahontas.

Apresentando a melhor experiência tridimensional da história do cinema, Avatar é um filme feito para ver no cinema, e dúvido muito que alguém que assistir o filme em DVD, ou baixado terá uma experiência tão impressionante: sem jamais utilizar a tecnologia para jogar coisas na direção do público, o filme mostra um avanço tecnológico indescritível: desde nossa noção de perspectiva da cena, até a distância de uma pessoa para outra, absolutamente todo e qualquer detalhe do filme mostra ter sido pensado e executado com firmeza por Cameron.

Porém, o roteiro não apenas decepciona na história (que fica até constrangedora quando tenta soar política) mas também, principalmente, nos diálogos. Se em Titanic a água com açúcar das falas poderia ser perdoada (era um romace, afinal), em Avatar os "Eu te vejo" e afins são verdadeiros chutes no saco. Além disso, fora o protagonista paralítico que encontra em seu avatar a possibilidade de andar de novo, algo bem desenvolvido no roteiro e principalmente na excelente atuação de Sam Worthington, todos os outros personagens surgem como caricaturas esquisitas e risíveis, desde o político belicista de Giovanni Ribisi até o militar fodão de Stephen Lang.

Mas talvez o melhor atrativo de Avatar seja na raça Na'vi, não que eles tenham algo de especial (como eu disse, é Pocahontas) mas nunca criaturas digitais surgiram tão carismáticas e sem surgirem intrusivas e esquisitas ao surgir em cena com humanos (estou olhando para você, Gollum!). E Robert Zemeckis que morra de inveja com a expressividade que James Cameron consegue com seus personagens digitais.

Avatar é um filme para ser visto agora no cinema em 3D, e vale muito o ingresso já que a experiência é realmente única. Infelizmente, ao contrário do que aconteceu em outras obras de James Cameron, sua história é tão decepcionante que dúvido muito que o filme alcançará a longevidade que os dois primeiros Exterminador do Futuro ou até mesmo Titanic possuem.

NOTA: 8

2 comentários:

O Cara da Locadora disse...

É, eu não vi nada de novas tecnologias nem mídias sociais, rs... Mas acho que o roteiro do filme não é tão ruim assim, é secundário mas não totalmente dispensável...

Adriano Mendes disse...

Uma porcaria! Eu daria nota 1,0 só pelo visual mesmo. Maldito James Cameron "lançou" a modinha do 3D.

Real Time Web Analytics