(500) Dias Com Ela



(500) Dias Com Ela tem vários méritos dentro do seu gênero, a comédia romântica, principalmente uma bem-vinda originalidade em sua narrativa. Infelizmente o filme não funciona tão bem quanto deveria, e várias de suas "originalidades" são sabotadas pela direção pretensiosa e inexperiente de Marc Webb. O que o filme tem de realmente bom é a ótima atuação do talentoso Joseph Gordon-Levitt, que esbanja carisma em cena.

Gordon-Levitt é Tom, um escritor de cartões formado em arquitetura (!) que se apaixona pela assistente do seu chefe, Summer (Zooey Deschanel). O filme acompanha a história dos dois através de uma narrativa não-linear que na maior parte do tempo não funciona, embora quando funcione seja sempre de forma espontânea e agradável (como a transição de uma cena musical quando Tom entra no elevador, para sua saída).

Além disso, o filme investe em cenas onde o diretor experimenta diferentes linguagens com resultados apenas moderados: as ilusões do personagem quando fica no cinema, e quando se vê dentro de obras como O Sétimo Selo são bacanas (mesmo desnecessárias), mas a cena em que o filme mostra os personagens sendo entrevistados como num documentário surje quase constrangedora. Apesar disso, o diretor cria vários momentos interessantes no filme, e destaco a abertura e sua boa narração em off, e os vários momentos em que o diretor usa do recurso de telas divididas, principalmente o que mostra as expectativas do personagem em contraste a realidade.

Infelizmente, (500) Dias Com Ela, mesmo sendo um filme interessante e divertido, é muito comprometido pelo excesso de idéias ruins (e eu realmente queria saber quem teve a idéia de fazer o protagonista pedir conselhos românticos a uma garota de uns 10 anos), mas vale uma conferida, principalmente pela ótima trilha sonora e o belo desfecho.

NOTA: 7

PS: A legenda no início do filme é impagável.

6 comentários:

Anônimo disse...

quanto pretenção nesse post. vai vc dirigir um filme então.

Tiago Lipka disse...

É o que eu pretendo ;)

Tiago Lipka disse...

E "pretenção" é com s, imbecil.

Tiago Ramos disse...

Um dos filmes que mais apreciei este ano. :)

Tiago Lipka disse...

Eu também gostei do filme, só não achei ele a última bolacha do pacote =P

Adriano Mendes disse...

Mais do mesmo. Dormi na metade.

Real Time Web Analytics