Intrigas de Estado



Intrigas de Estado seria muito mais bem-vindo na época da administração Bush. Mesmo assim, ele surpreende por não ser apenas um suspense eficaz, como de início também se apresentar como um interessante debate sobre certas práticas do jornalismo: mostrando a decadência das mídias impressas tanto em qualidade quanto em lucros e suas dificuldades com o mundo online, o filme abre com debates fascinantes que, infelizmente não são resolvidos depois.

Dirigido por Kevin Macdonald do ótimo O Último Rei da Escócia, Intrigas de Estado já abre com uma cena impressionante de perseguição, onde num longo plano, um personagem atravessa a rua, com direito a ser atropelado por uma moto, demonstrando que o talento de Macdonald para criar cenas fortess e marcantes mostrado no filme anterios se mantém intacto aqui. Auxiliado por uma montagem eficiente e que jamais comete o erro tão comum hoje em dia de usar 15 enquadramentos em um segundo, o melhor aspecto da obra é a tensão crescente que chega a ser quase insuportável, e que me lembrou de outro grande filme envolvendo os bastidores de uma matéria, o clássico Todos os Homens do Presidente.

Russel Crowe faz um personagem divertido e carismático e Rachel McAdams mostrando um talento cada vez maior, cria uma química excelente com o ator. Aliás, o elenco em geral merece fartos elogios, mas sinto que devo destacar a sutil e brava interpretação de Ben Affleck, um ator bem subestimado por aí. E Jason Bateman e Jeff Daniels, que fazem a tela ferver em suas pequenas participações.

Decepcionante apenas por acabar apostando mais na trama pessoal dos personagens do que nos conflitos éticos e profissionais trabalhados no início, e pela tentativa um pouco forçada de criar um final feliz (já que o filme termina de forma pessimista, eu acho) mesmo assim Intrigas de Estado é um excelente suspense, tenso e surpreendente como poucos.


NOTA: 8,5

1 comentários:

O Cara da Locadora disse...

É um excelente thriller, como poucos recentemente...

Real Time Web Analytics