Revólver



Depois de aparecer para o mundo com os excelentes Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes e Snatch, Guy Ritchie tropeçou feio com a parceria no cinema com a ex-esposa Madonna no fraquinho Destino Insólito. Revólver, seu filme seguinte foi um fiasco nos cinemas, foi lançado em 2005e só esse ano no Brasil. E é um caso claro de um filme que não foi compreendido e é esquisito que até críticos como Roger Ebert tenham xingado até a mãe de Ritchie de tanto que detestaram o filme (se bem que o Ebert elogiou o Fim dos Tempos... enfim). E a prova de que a má recepção da obra mexeu com Ritchie é o próprio Rock'nRolla, que apesar de ser ótimo, foi um certo "passo atrás" em sua carreira.

Revólver é um filme sério sobre Jogos e Trapaças (dã), contando a história do ex-presidiário (Jason Statham) que vai atrás do cara que botou ele na cadeia (Ray Liotta). A partir de um começo normal, o filme consegue virar uma viagem na maionese, que se de início parece meio perdida, aos poucos se revela ambiciosa e pretensiosa, no bom sentido: é como se Ritchie brincasse com o conhecimento do espectador com a sua própria obra para nos obrigar a pensar e refletir sobre o que vimos, a partir de uma interessante discussão, que mistura de Maquiavel até Freud, até xadrez e cocaína.

Os problemas do filme são o ritmo que é lento e que a história demora um pouco para se tornar realmente interessante, e alguns personagens fascinantes são tratados com um certo desdém (como o ótimo capanga interpretado por Mark Strong). Mesmo assim, é o melhor filme de Ritchie na direção, no sentido de que seus enquadramentos são lindos, e as cenas tão bem planejadas que é difícil não ficar se dizendo por dentro: "Guy Ritchie é o cara". Não é um filme para todos, mas é definitivamente o caso de um filme que merece ser revisto.

NOTA: 8,5

3 comentários:

Mari disse...

O filme realmente surpreendeu. Só que pra entender acho q preciso ver de novo, boiei em algumas partes. rsrs
Nota 8,0

Anônimo disse...

Melhor filme que vi em toda a vida, nota 10, já vi mais de 8 vezes... gosto de ver ele uma vez por ano no minímo...
Quem nunca viu que ao menos o veja uma única vez, senão gostar ou não compreender tudo bem, terá sido só mais um filme, porém se a mensagem do filme chegar até você...

Anônimo disse...

É 10. A formula é Infinita em sua eficácia. Vale para nos descobrirmos descobrirmos o outro, descobrir nossas relações e encontrar o jogo de Sam Gold.

Nota: INFINITO.

Real Time Web Analytics