Ano Um



A crítica falou muito mal, e até mesmo o público parece ter se decepcionado bastante com este Ano Um, que é um primo pobre de A História do Mundo de Mel Brooks e A Vida de Brian de Terry Jones. Eu gostei, ri muito das piadas (mesmo as que envolviam escatologias bizarríssimas), achei que o filme misturou bem humor negro com o humor besteirol alá Judd Apatow.

Além disso, fazia tempo que eu não achava Jack Black tão engraçado, e sua química com Michael Cera é o que o filme tem de melhor. Aliás, o elenco de Ano Um é de dar inveja a qualquer produtor: Vinnie Jones, Paul Rudd, Olivia Wilde, Hank Azaria e até o grande e eterno McLovin,  Cristopher Mintz-Plasse. O diretor Harold Ramis acerta na direção do elenco, mas erra na condução da narrativa. A montagem é cheia de furos bestinhas, e o filme tem uma estrutura esquemática e episódica que atrapalham muito a história.

Além disso, é uma pena que no final das contas, o filme se revele menos atrevido do que parecia: se de início é empolgante pensar que os personagens estão atravessando boa parte do Velho Testamento na Bíblia, é lamentável que a trama pare de se desenvolver quando eles chegam em Sodoma. De qualquer maneira, como eu avisei antes, eu ri muito, se decidir assistir e acabar não gostando, por favor, não me culpe.

NOTA: 7

2 comentários:

Mari disse...

Nem achei mta graça no filme. Poderia ter sido bem melhor. Nota 6!

Blog do Sano disse...

Eu gostei do filme, mas também esperava que fossem além de Sodoma. Achava que poderiam passar por todo o velho testamento.

Real Time Web Analytics