Eu Te Amo, Cara


 
Inusitadíssima comédia romântica, que subverte a velha história de amor entre homem e mulher pela recente "fórmula Judd Apatow" sobre a camaradagem masculina. Paul Rudd mostra (mais uma vez) que é um dos atores mais talentosos trabalhando em Hollywood recentemente, e merece uma indicação ao Oscar (mais uma vez) pela sua performance neste Eu Te Amo, Cara. Sua química com Jason Segel é uma dessas raras combinações perfeitas que transcendem a obra.

A história do cara que vai casar e acaba percebendo que não tem nenhum grande amigo é inusitada, e acaba tocando em temas delicados sobre o papel do homem na sociedade atual, algo trabalhado também em (pasmém) filmes como Clube da Luta. Tudo que bem que pelo fato de ser uma comédia, o filme não se aprofunda tanto, mas não dá pra negar a bela maneira como a história apresenta estes temas discretamente. Além disso, algumas de suas cenas são de chorar de tanto rir, como o momento em que Paul Rudd erra seu próprio nome em uma ligação, o insusitado brinde no jantar, ou a obsessão de seus personagens pelo (pasmém) Rush.

Incrivelmente engraçado, o filme se junta a Segurando as Pontas, Perdendo a Noção e Faça o que eu Digo, Não Faça o que eu Faço como uma das melhores comédias do ano (ainda não assisti Se Beber, Não Case...). E é justo destacar o trabalho do diretor John Hamburg que mostra uma melhora surpreendente de seu último trabalho, o malinha Quero Ficar com Polly.

NOTA: 10

1 comentários:

Mari disse...

Fazia muito tempo que eu não ria tanto com uma comédia. Adorei! Minha nota é com certeza 10!

Real Time Web Analytics