1984



Frase que qualquer um fala: "Ah, o livro é melhor que o fime". Besteira. São duas mídias diferentes, que devem ser apreciadas de maneiras distintas. Eu, por opção, prefiro sempre ver o filme, para me aprofundar na história no livro depois, mas não tem como comparar. Dito isso, a adaptação para o cinema de 1984 de George Orwell é fidelíssima ao espírito do livro: é tenso, sufocante, quase insuportável, mas é um prazer inegável ver a diálogos tão bem escritos e sua trama genial.

Foi o maior trabalho de Michael Radford, tanto na direção quanto no roteiro (e que anda devendo um filme bom faz anos... o último bacana foi Dançando no Blue Iguana). John Hurt encarna o protagonista com sua típica composição minimalista (daquelas atuações perfeitas, que parecem até fáceis, tipo Michael Caine), e brilha na cena de tortura. Richard Burton como o "vilão" está igualmente perfeito.

O filme lembra bastante Brazil - O Filme de Terry Gilliam em seu visual, mesmo sendo óbvio que o livro de Orwell influenciou Gilliam, é esquisito que o lugar de trabalho dos protagonistas sejam tão similares, ainda mais que foram feitos praticamente simultaneamente (ambos em, dã, 1984). Aliás, assistir 1984 dá idéia do tamanho da influência que o Big Brother exerceu no cinema: desde o bacaninha V de Vingança até o genial Filhos da Esperança.

1984, o filme, só não deve ser apreciado por aqueles devoradores de livros que não permite que nada estrague a sua interpretação da leitura. Quem saca o quanto é complicado fazer uma adaptação de qualquer livro para o cinema, sabe que 1984 é fiel ao espírito do livro, e isso, acreditem, faz toda a diferença no final das contas.
PS: Ainda não leu 1984? Pare tudo que está fazendo agora e vá ler!

NOTA: 10

2 comentários:

Mari disse...

Puta filme! nota 10!

Barmen disse...

É fácil de achar esse filme (pra alugar ou na internet)?

PS:Existe uma adaptação do Admirável Mundo Novo?

Real Time Web Analytics