Sicko - S.O.S. Saúde




Como documentário, não é perfeito: Tem uma introdução bacana, mas no desenvolvimento dos argumentos se perde demais, ao contrário das obras anteriores de Michael Moore. Só se torna realmente excelente ao final, a partir de quando mostra os problemas de saúde dos voluntários do 11 de setembro, e a dificuldade de receber qualquer assistência do governo.

Sicko - S.O.S. Saúde é o filme mais fraco de Michael Moore, o que não diminui sua relevância. Os problemas do filme são que o estilo improvisado do diretor parece não combinar com a obra. Parece atirar para todos os lados, mas são poucas as conclusões que se sustentam que o filme apresenta. Felizmente, o estilo único de Moore, com seu senso de humor bacana e sua cara-de-pau impressionante são o suficiente para recomendar o filme.

O documentário, aliás, merece ser aplaudido de pé pela coragem de exibir (e filmar)  as cenas em Cuba, que é, sem dúvida, o momento mais emocionante do filme (a homenagem que os bombeiros locais fazem ao grupo de pessoas é lindo). Só é de se lamentar que Moore prefira apenas comparar os sistemas de saúde de um país com outro do que apresentar argumentos.

NOTA: 7,5

1 comentários:

Susana disse...

Achei bem legal ele querer colocar o sistema de saúde comparando os países ao invés de apresentar argumentos (apesar de que eu acho que ele apresentou lá seus argumentos sim...)

Se ele os colocasse de uma forma mais forte, acho que as ideias e os valores dele iriam transparecer ao ponto de parecer manipulador.

Real Time Web Analytics