O Menino do Pijama Listrado




Só esse ano, vi dois filmes novos sobre o holocausto, O Leitor e Um Homem Bom. Ambos se beneficiam de olhares diferenciados pelo tema trabalhado. O Menino do Pijama Listrado tenta ser isso, mas falha. O filme tem o problema de "encher linguiça" demais. Se fosse um filme mais subjetivo do ponto de vista da criança (como o excelente O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias), seria uma obra-prima, sem dúvida, pois a história é intrigante, e as vezes traiçoeira (como ao apresentar até mesmo a criança com um lado obscuro).

É um filme interessante de assistir, não há dúvida. Não tem como perder a vontade de assistir no meio. Quando se foca no olhar sensível de Bruno, como suas conversas com o empregado judeu da casa, ou com o tal do pia de pijama de listrinha. Já o conflito da mãe com o pai surge de maneira forçada, e até desnecessária. O que é uma pena em vários sentidos, mas principalmente, por desperdiçar os talentos de Vera Farmiga e David Thewlis.

Brilhante em seu desfecho (não podia terminar de outra maneira), O Menino do Pijama Listrado é um filme que merece ser visto, mas mesmo comparado com filmes de holocausto desse mesmo ano, já não tem muitas vantagens. Mesmo assim, não tem como não recomendar.

NOTA: 7,5

0 comentários:

Real Time Web Analytics