De Olhos Bem Fechados



Filme sacana, pervertido até quando quer ser certinho. E esta é a grande qualidade deste, que foi o último longa de Stanley Kubrick. Fácil concluir que não é uma de suas grandes obras, mas é repleto de toques de gênio. A cena da suruba é muito bem filmada, coloca uma interessante pitada de sagrado no profano. A nudez está presente o tempo todo, as vezes de maneira inusitada, o filme transpira sexo.

De Olhos Bem Fechados conta com uma química brilhante entre o ex-casal Tom Cruise e Nicole Kidman (ela, inclusive, pela última vez linda em um filme). Infelizmente, Kidman parece perdida na personagem, e só no final sua performance fica realmente boa. Já Cruise, segura bem o filme e tem uma de suas melhores atuações aqui (só superada em Magnólia). Vale comentar também da coragem de Leelee Sobieski como a adolescente pervertida que aparece no filme, infelizmente seu único papel marcante até hoje.

Kubrick parece fazer uma mistura interessante do visual dos cineastas David Lynch e Roman Polanski. De Lynch, o vermelho e o azul, a aura de mistério. De Polanski, a sutileza do profano (não sei porque, este filme me lembra de O Bebê de Rosemary). A trilha se mostra uma das mais inspiradas dos últimos anos. Baby did a bad, bad thing surge perfeita, e os fortes toques no piano que marcam as cenas de suspense funcionam de maneira perfeita e orgânica a narrativa.

É uma pena que, na última cena, no último diálogo, o filme dê um tiro no próprio pé, com um diálogo certinho, moralista e chato, que resolve a história de uma maneira rápida e chata. É lamentável ouvir tantas frases clichês depois de duas horas de mistério, do clima sexual. Acaba como um coito interrompido. Foi bom enquanto durou, mas já tive melhores.

NOTA: 8,5

1 comentários:

Mari disse...

Adoro o Kubrick, Laranja Mecânica está no meus 10 melhores filmes. Mas sei lá, esperava mais do De Olhos Bem Fechados, minha nota é 7,5! Mas só pra deixar bem claro KUBRICK APAVORA!

Real Time Web Analytics