O Último Tango em Paris



Filme importante pela coragem com que encara a sexualidade e pela união dos talentos de Marlon Brando e Bernardo Bertolucci. Mas não dá pra deixar seus defeitos passarem em branco só por isso. É um filme safado, que tenta se aprofundar no discurso sobre existências vazias. Acaba chovendo no molhado na maior parte do tempo. A história da garota é ruinzinha de dar dó. Seu namorado babaca faz um filme com ela no papel principal. É uma reflexão interessante, no filme errado. Além disso, a briga entre ela e o namorado merece entrar na lista de piores brigas do cinema.

Mas quando Marlon Brando entra em ação, o filme ganha inquestionável energia. Bertolucci construiu vários e belos monólogos para seu personagem, e usa de longos planos-sequência para deixar Brando ainda mais a vontade. O resultado é genial. O monólogo do personagem no funeral de sua mulher é, provavelmente, um dos melhores momentos de Brando.

Merece ser visto e revisto e tem sua razão para entrar na história do cinema. Mas oferece muito menos do que pensa oferecer.

NOTA: 8

1 comentários:

FESTIVAL disse...

Assessoria de Imprensa Cel.U.Cine | Oi Telecom

Olá Equipe de Filmes e Cigarros, boa tarde !


O Festival Cel.U.Cine de micrometragem em parceria com a Oi Telecom já está na 3° etapa e é um sucesso. O Tema da nova etapa é “De arrepiar” e as inscrições vão até 27 de Julho.

Gostaríamos de enviar à vocês o novo release desta 3° etapa do festival, sob o tema “De Arrepiar”.


Ficamos agradecidos retornando este email para nós.

Desde já, nosso muito obrigado!


Assessoria Festival Cel.U.Cine de Micrometragem | Oi Telecom | http://www.celucine.com.br/index.php

Real Time Web Analytics