O Iluminado



Que Stanley Kubrick foi um gênio, isso ninguém duvida. Por mais vezes que vejamos seus filmes, eles sempre nos surpreendem pelas suas características: os enquadramentos perfeitamente alinhados, os planos-sequência surpreendentes. Enfim, a marca de um dos grandes diretores da história. O Iluminado, baseado no excelente livro de Stephen King é uma das provas disso.

Kubrick desvia a atenção da história paranormal, para realizar um estudo sobre o confinamento. Jack Nicholson encarna a crescente loucura de Jack Torrance com uma sutileza brilhante. E quando chegamos ao tenso clímax, a câmera de Kubrick parece reagir como seu personagem psicopata. A cada golpe de machado, a câmera acompanha o movimento ou observa o ator ao fundo de sua destruição.

As aparições das garotas no corredor para o menino Danny são outros golpes desse filme. Os breves frames com elas esquartejadas assustam mais do que qualquer Jason ou Jigsaw que o cinema nos mostrou até hoje. Kubrick nos obriga a acompanhar o pequeno garoto andando com seu brinquedo pelos corredores do hotel. Parece brincar com o público, já que na última cena em que vemos esta imagem, ele finalmente mostra a carta na manga. Outras sequências de destaque são a perseguição no labirinto e a cena da banheira (minha favorita).

Não há muito o que ser dito sobre O Iluminado. Apenas, reafirmar a grandeza do que foi este furacão no cinema chamado Stanley Kubrick.

NOTA: 10

1 comentários:

mari disse...

Com certeza 10!Maravilhosamente aterrorizante e todos os "antes"que se possa dar. Uma obra de arte. Viva Stanley Kubrick!

Real Time Web Analytics