Um Beijo Roubado



Quem fez o elenco de Um Beijo Roubado merece um prêmio. Jude Law, Rachel Weisz, David Strathairn e Natalie Portman. Uau. Reunir quatro talentos tão distintos não deve ser tarefa fácil. Mas o elogio acaba aqui. Os quatro atores acima são coadjuvantes de Norah Jones. Nada contra a cantora, que claramente se esforça com sua personagem. Mas o papel exigia alguém com mais experiência.

Basta comparar qualquer cena de Norah com alguma das poucas vezes que Rachel Weisz aparece no longa. A inglesa praticamente apaga a cantora de cena. Aliás, é de Weisz e David Strathairn a história mais tocante e sensível do filme, e é realmente lamentável que a trágica história do casal seja tão pouco desenvolvido no filme. Pessoalmente, eu preferia que a históra se focasse mais no casal, que é muito mais interessante que o resto.

Aliás, o roteiro do filme por mais inspirado que seja (e de fato, é), acaba sendo um pouco ingênuo demais em alguns momentos e... bobinho em outros, isso principalmente quando a personagem de Natalie Portman entra em cena. Por mais que a atriz se esforce, sua história não convence e tem um desfecho realmente decepcionante.

Mas é nas cenas com Jude Law (e, como já disse, na história de Weisz e Strathairn) que o filme ganha sua inegável beleza. O diretor Wong Kar Wai mais uma vez demonstra sensibilidade e talento especial para a composição de quadros, principalmente no uso de cores (e a fotografia é maravilhosa). Mas no fim das contas, é preciso admitir que em si, o filme jamais supera os anteriores do diretor.

NOTA: 7,5

0 comentários:

Real Time Web Analytics