Eu Sou a Lenda



Se tem uma coisa que me dá muita, mas muita raiva num filme, é assistir uma obra que vá num "crescendo" maravilhoso, pra avacalhar bonito no final. E Eu Sou a Lenda é um ótimo exemplo disso. Extremamente eficaz, o filme consegue fazer até seus flashbacks jamais soem gratuitos, e que se encaixem perfeitamente na narrativa. E a direção de Francis Lawrence e a ótima performance de Will Smith estão em perfeita sintonia no filme.

Will Smith é Robert Neville, um cientista-médico-militar-que-também-entende-de-rádios, que vive sozinho em Nova York. Três anos antes, um vírus se espalhou rapidamente pelo mundo. Como resultado, os infectados viraram vampiros, e Neville continua buscando por uma cura. Com ele, apenas seu cachorro, com quem conversa normalmente para manter a sanidade.

O tom do filme para apresentar seu conceito e seu personagem em sua primeira hora é formidável, e apresenta o que há de melhor no filme. As ruas vazias de Nova York tomadas por animais selvagens são um trabalho estupendo de direção de arte (e efeitos especiais, provavelmente). E Lawrence trabalha bem na tensão crescente do filme, principalmente na cena do depósito escuro, quando as criaturas são finalmente reveladas.

Mas aí a Alice Braga entra no filme e a coisa desanda, e entra uma conversa sobre Deus que dá AQUELA brochada... Nada contra a Alice, que está bem, mas a sua personagem é uma das coisas mais absurdas que já vi nos ultimos tempos: uma paulista que nunca ouviu falar de Bob Marley e (spoiler) salva Neville sozinha contra uns trocentos vampiros.

O final do filme em si, é belo, mas o começo do terceiro ato faz com que o filme deixe de ser uma obra realmente maravilhosa, e que tinha tudo para se tornar clássico, em mais uma ficção científica nas prateleiras das locadoras. Uma pena.

NOTA: 7

3 comentários:

Mari disse...

Dou um 7,5...concordo plenamente com vc...o filme começa muito bem, mas quando chega no final é deprimente. Alice Braga não tinha nada que ter apercido no filme, só ajudou a estragar mais ainda!

Pra mim essa foi a melhor interpretação de Will Smith, sensacional!

Beijos!

Adriano Mendes disse...

Minha nota: -2,0.
É remake de um remake. Já odeio remakes e fazem isso. Além de que achei o filme ruim pacas. E vem continuação aí, aliás, uma prequel.

Eu disse...

caralho adorei teu blog!
o melhor texto que eu li sobre o Lynch foi vc quem escreveu, parabens, esta add e ganhou uma fa!
( sem acentos no teclado =/ )

Real Time Web Analytics