O Profissional



Leon é um assassino profissional eficiente, que se dá ao luxo de cobrar $5.000 por cabeça. Ele mora num prédio, ao lado do apartamento de um pai de família que trabalha com drogas, e tem uma filha fumante e simpática de 12 anos, com quem conversa ocasionalmente nos corredores. Um dia, porém, alguns homens chegam junto com o assustador Stansfield (Gary Oldman) para um um massacre. A garota, porém, havia ido no mercado e ao ver a família morta, vai para a porta de Leon. Ele abre e os dois desenvolvem uma curiosa amizade.


O Profissional tem seus problemas: as vezes exagera demais no humor de algumas cenas (com a que envolve o fantoche), mas isso provavelmente é culpa de Luc Besson. Ele é um bom diretor, mas tem uma tendência natural ao exagero na direção de cena (só lembrar de O Quinto Elemento, por exemplo). E é curioso observar que esse é provavelmente seu filme mais discreto, e bem dirigido, tanto nas cenas de ação (a cena do massacre da família), quanto em diálogos, como o primeiro confronto entre Stansfield e o pai da garota.

Mas o filme tem força mesmo no trio de atores principais: Jean Reno, como Leon dá uma performance excelente. Criando um personagem inicialmente assustador, ele demonstra bem a quebra emocional do personagem quando a garota Mathilda entra em sua vida (e o diretor podia compreender isso e não ficar martelando a metáfora da planta criando raízes também). Natalie Portman novinha que só, demonstra o talento que conferimos hoje em dia em filmes como Closer: mesmo quando sua personagem é boicotada pelo roteiro, a atriz mantém uma seriedade impressionante e acaba nos convencendo de suas ações.

Mas é Gary Oldman como Stansfield que rouba a cena. Extremamente exagerado, Oldman não tem medo de atuar cheio de maneirismos, criando um personagem cuja presença na tela diverte, mas também nos mantém tensos. Por exemplo, sempre antes de se preparar para matar, ele toma uma pílula, e sua reação ao tomar a pílula é hilária, mas também assustadora.


O Profissional é uma pequena obra-prima do cinema de ação, que infelizmente é meio esquecida hoje em dia. Até eu já tinha esquecido, e só assisti porque passou na TV. Mas valeu a pena. Não sou grande fã de filmes de ação, mas as vezes saem alguns com um grande pitado de inteligência e emoção que nos surpreende. E esse, é definitivamente o caso desse filme, mesmo não sendo perfeito.

NOTA: 8

0 comentários:

Real Time Web Analytics