Hellboy II - O Exército Dourado



O maior acerto de Homem de Ferro, foi manter o bom humor dos quadrinhos em sua versão cinematográfica, mas sem desrespeitar seu personagem. Esse acerto pode ser dividido com Hellboy, lançado em 2004, mas com bem menos alarde. Mas, convenhamos, por mais divertido que fosse, Hellboy é um filme bastante falho, que tinha sua força no personagem título, vivido com grande personalidade por Ron Perlman, já que até mesmo a direção de Del Toro ocasionalmente falhasse (principalmente no uso de personagens digitais).

Mas os anos passaram, Guillermo del Toro foi aclamado merecidamente com O Labirinto do Fauno, e o diretor volta ao mundo de Hellboy para uma aventura bem mais ambiciosa, tanto do ponto de vista narrativo quanto estético. Hellboy 2 mostra o personagem título e sua trupe combatendo uma versão bizarra dos contos de fada. Através de um pacto milenar com os elfos e humanos, o príncipe Nuada, revoltado com o que os humanos fizeram com o planeta, decide invocar o exército dourado para acabar com o domínio humano no planeta e devolver a glória a seu povo.

Bem mais a vontade para viajar na maionese (no melhor dos sentidos, acredite!), Guillermo del Toro demonstra sua invejável criatividade em vários momentos, principalmente no mercado troll, uma cena de dar inveja a George Lucas e Peter Jackson. Também merece destaque a gigantesca criatura verde, que mostra grande beleza ao ser destruída e o Anjo da Morte (que nos lembra a condição maldita de Hellboy perante o mundo, e que, provavelmente, serve de deixa ao terceiro filme). E, claro, o Exército Dourado do título é impressionante, e a grande batalha do filme é impressionante.

Aliás, Hellboy 2 merece indicações ao Oscar de Direção de Arte e Maquiagem. Trabalhos esplêndidos. O roteiro melhorou bastante em comparação com o primeiro, e explora bem seus personagens. O relacionamento entre Hellboy e Liz é plausível, e se torna o coração do filme. Aliás, mesmo o vilão do filme é bem caracterizados, com motivações justificáveis (algo que leva  próprio Hellboy a questionar qual o lado certo da questão durante todo o filme). O humor negro também continua a toda, merecendo destaque a bebedeira de Abe com Hellboy, cantando Barry Manilow.

Hellboy 2 não é espetacular, assim como o primeiro, mas é suficientemente divertido e macabro para ser lembrado, e fico desde já, bastante ansioso para uma continuação.

NOTA: 8

1 comentários:

Mari disse...

Como é minha obrigação discordar, minha nota é 8,5! =P
Concordo quanto as indicações ao Oscar. O filme realmente merece ser indicado!
Beijos!

Real Time Web Analytics